Taxa Selic: como sua alta influencia o mercado imobiliário
MENU
taxa-selic-2021-mercado-imobiliário

Um dos termos mais discutidos do mundo econômico e financeiro, é a Taxa Selic. Em especial, quando o assunto é investimentos.

Isso porque, tudo está vinculado a ela, para que o mercado funcione. E essa taxa teve uma alta na reunião do Copom, realizada em junho de 2021. Mas, o que isso significa, então, para o mercado imobiliário?

Se você é uma pessoa interessada em investimento imobiliário, ou está buscando seu primeiro lar, confira essa matéria e entenda a importância da taxa Selic, para seu planejamento. Boa leitura!

O que é a Taxa Selic?

Com influência direta na sua vida, a taxa Selic é o que rege a economia brasileira.

Ou seja, é através dela, que todas as taxas de juros são definidas, seja para empréstimos, financiamentos ou retorno de investimentos.

Selic é uma sigla 

E significa Sistema Especial de Liquidação e Custódia. Assim, é a ferramenta do Banco Central e das instituições financeiras, para negociarem títulos relacionados ao Tesouro Nacional.

Por isso, a taxa Selic tem ligação direta aos juros dos títulos públicos, ofertados nesse sistema. Ela é definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

Portanto, é através dela que as taxas de juros praticadas para financiamentos, pelos credores de crédito, por exemplo, são definidas.

Como funciona a aplicação da taxa Selic?

Ao ter o percentual definido, essa taxa é aplicada aos juros dos investimentos, a fim de controlar o consumo, oferta e procura. Como consequência, ela garante o controle do mercado, de acordo com os preços praticados.

Ou seja:

• Quando a taxa está em alta, os valores dos investimentos também sobem. Isso faz com que a procura abaixe;

• A taxa em baixa, por sua vez, deixa os valores mais acessíveis, aumentando a procura por determinado investimento.

O que ficou definido na reunião do Copom?

 No dia 16 de junho, o Copom se reuniu para definir o reajuste da taxa Selic. Assim sendo, o percentual vigente passou a ser de 4,25% ao ano.

Esse é o mesmo índice de fevereiro de 2020, antes de a pandemia começar, segundo a matéria do Estadão.

Além disso, mesmo com a alta, o mercado imobiliário segue aquecido. Entenda abaixo.

Alta da taxa Selic não impacta negativamente o mercado imobiliário

Mesmo que o reajuste da taxa tenha aumentado seu percentual, o impacto desse feito para o mercado imobiliário não será negativo. Muito pelo contrário.

Como dito acima, quando a taxa está em alta, os preços acompanham essa alta, ficando mais caros. Mas, dessa vez, o percentual de 4,25% ainda mantém esse setor aquecido.

Além disso, a alta coincide, ainda, com a informação de que a concessão de crédito imobiliário cresceu 41,4% entre janeiro e maio deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado, de acordo com a Caixa Econômica Federal.


Por que o mercado imobiliário segue aquecido?

As linhas de crédito atuais estão com uma taxa de juros acessível, mesmo com a alta da Selic.

No entanto, se comparada aos anos de 2015 e 2016, por exemplo, quando a taxa atingiu 14,25%, é possível notar que essa alta não tem grandes impactos no valor final do investimento.

Sendo assim, podemos entender que esse aumento está bem abaixo das linhas de crédito já praticadas e, por isso, a procura por investimento imobiliário segue, sem impactos negativos.

O que esperar das concessões de crédito, então?

Em fevereiro de 2021, a Caixa anunciou um financiamento corrigido pelo rendimento da poupança. Ou seja, a nova modalidade apresenta a soma da taxa fixa, que pode ser de 3,35% a 3,99% ao ano, de acordo com o perfil do cliente, mais a Taxa Referencial (TR).

Contudo, essa modalidade, que está disponível desde o mês de março, atende a financiamentos de imóveis novos, usados e construções.

Com isso, as instituições privadas foram desafiadas a criarem, também, novas possibilidades. E toda essa movimentação popularizou ainda mais o financiamento imobiliário.

Isso tudo, no entanto, aconteceu quando o mercado residencial já estava aquecido. Ou seja, potencializou a alta demanda dele.

O que esperar para a pós-pandemia?

Os especialistas apontam ser muito cedo para prever como será a movimentação, no período pós-pandemia. Mas, por ter um aquecimento contínuo do mercado imobiliário durante a pandemia, a tendência é a adaptação.

Por isso, o otimismo se manterá para o próximo período, que tende a receber uma demanda ainda maior. E, como consequência, se manter em crescimento.

Outro ponto, inclusive, é que a estimativa de que o mercado imobiliário siga em uma crescente importante, nos próximos dois anos.

Agora que você entende como funciona a taxa Selic, invista!

Sendo essa, uma das informações mais importantes de se saber, antes de investir em um imóvel, dê o segundo passo, rumo a essa conquista.

Em nosso blog, por exemplo, nós trouxemos o passo a passo de como se planejar financeiramente para investir em um imóvel. Assim, você poderá fazer um investimento sem erros.

No entanto, continue em nosso blog, para conferir mais dicas e informações sobre o mundo do mercado imobiliário e dos melhores lançamentos de Indaiatuba e região.